Empresas não tem mais escolha, pois o consumidor já é mobile

As marcas não têm mais escolha e precisam aderir ao marketing móvel, pois o consumidor de hoje já é mobile, segundo afirmou Marcio Chaer, executivo para América Latina da Mobile Marketing Association (MMA). “Não vejo uma demanda reprimida (por conteúdo móvel), pois os consumidores vêm dando mostras de que desejam isso. Talvez o que haja, isto sim, seja um conhecimento reprimido sobre esse mercado, por parte das empresas. Mas não há mais escolha para marcas, pois consumidor já é mobile. Esse é o trabalho da MMA: divulgar informações e educar marcas e consumidores sobre os benefícios que a plataforma pode trazer”, disse ele, que vê, no entanto, um gradual encaminhamento das grandes empresas neste sentido. “A MMA treinará toda a equipe de marketing da Coca-Cola na América Latina, e já temos negociações para fazer o mesmo com outras grandes empresas. Também estaremos presentes nos grandes eventos de publicidade, como a semana publicitária de Cannes e a Ad Week, nos Estados Unidos”, afirmou. Segundo Chaer, o grande desafio dos próximos anos para o futuro do ramo será encontrar um modelo de negócios próprio. “Esse não é um desafio só do mobile marketing, mas da mídia digital como um todo. Hoje, o modelo de mídia digital que mais vende ainda é o offline. Precisamos definir um novo marco de modelo de negócios com as agências, que são o intermediário fundamental entre os provedores de serviços móveis e as grandes marcas”, disse. Segundo ele, no primeiro momento não se poderá fugir do modelo de negócios tradicional do mundo da publicidade, mas com o tempo a tendência é que se desenvolva um modelo...

Governo quer regulamentar sistema de pagamentos via celular

O Banco Central e o Ministério das Comunicações trabalharão juntos para regulamentar um sistema que permita a realização de pequenos pagamentos por meio do celular, conhecido como “Mobile Payment”, disse nesta terça-feira o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. O objetivo do governo com essa nova ferramenta, disse Bernardo, é estimular a inclusão bancária. A regulação, porém, exigirá o envio de um projeto de lei ao Congresso. “Gostaria de mandar ao Congresso esse ano”, disse Bernardo, após reunião com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. A ideia, segundo o ministro, é que operações de compra e venda de pequenos valores possa ser feita por celulares comuns, e não por smartphones (que, na prática, já acessam os serviços dos bancos na internet). O governo não vai permitir que as operadoras de telefonia façam operações de crédito, mas dar ao usuário de telefonia móvel, principalmente de regiões com pouco acesso a bancos, acesso a uma conta bancário. Esse usuário poderia, por exemplo, fazer compras em um estabelecimento comercial usando o número do seu telefone e confirmando a transação, junto à operadora, via SMS. Paulo Bernardo confirmou ainda que o leilão de faixas de frequência de 4G deverá ser realizado no dia 4 de junho. O edital, segundo ele, deve sair no dia 20 de abril próximo. Fonte:...